Mensagem de Fim de Ano

Apesar de todos os defeitos que se reconhecem a Salazar, não conheço ninguém que o possa acusar de falta de seriedade e de aproveitamento do poder em proveito próprio. Afinal o homem morreu POBRE! Um dado curioso e ilustrativo é que na altura em que o meu pai era finalista do liceu, entendeu escrever a Salazar em nome da comissão de finalistas, pedindo o seu contributo para a viagem que pretendiam fazer. Qual não foi o espanto de todos, quando Salazar lhes remete um cheque pessoal, como o contributo desejado. Mais espantado ficou o caixa do Banco, quando o meu pai foi levantar um cheque pessoal do Presidente do Conselho. Esta era a seriedade de tempos que ninguém quer nem ousa recordar!

 

Acho importante no fim deste atribulado ano, sugestionar um momento de reflexão e de interiorização. Para tal, nada como citar Nelson Mandela, numa carta escrita a Winnie Mandela.

“A cela é o lugar ideal para nos conhecermos a nós próprios, para aprofundarmos de forma realista e regular os processos da nossa mente e dos nossos sentimentos. Ao avaliarmos a nossa evolução enquanto indivíduos tendemos a concentrarmo-nos em factores externos como a posição social, o poder de influência e a popularidade, a riqueza e o nível de instrução. Estes são, de facto, factores importantes para a avaliação do nosso sucesso individual no que se refere a aspectos materiais e é perfeitamente compreensível que muitas pessoas se empenhem em alcançá-los. Existem no entanto factores internos que podem ser ainda mais decisivos na avaliação de uma pessoa enquanto ser humano: a honestidade, a sinceridade, a simplicidade, a humildade, a generosidade, a ausência de vaidade, a disponibilidade para ajudar os outros – qualidades ao alcance de todas as almas – constituem os alicerces da vida espiritual de cada um de nós. A evolução em matérias desta natureza é impensável sem uma introspecção séria, sem nos conhecermos a nós próprios, sem conhecermos as nossas próprias fraquezas e os nossos erros. No mínimo, se não nos der mais nada, a cela proporciona-nos a oportunidade de analisarmos todos os dias a nossa conduta na sua globalidade, de ultrapassarmos o que de mau houver em nós e desenvolvermos o que possamos ter de bom. A meditação frequente, nem que seja durante 15 minutos por dia antes de adormecer, pode ser muito proveitosa a este respeito. No início pode parecer-nos difícil identificar os aspectos negativos da nossa vida, mas com perseverança este exercício poderá revelar-se altamente compensador. Não devemos esquecer que um santo é um pecador que não cessa de se esforçar.”

Esta mensagem é de uma profundidade que arrepia, e como complemento, Kant que dizia-nos que o “esclarecimento é a saída do homem da sua menoridade”.

Espero que em 2011 haja mais esclarecimento, e que este proporcione um nível de entendimento que transcenda a estado desregrado e de total ausência de valores em que se encontra esta nossa hiperdemocracia, onde tudo é possível, e em que corrupção corrói qualquer hipótese de prevalência de uma sociedade meritocrática.

É importante compreender que a saída deste estado, implica da parte da nossa sociedade, largar o pesado lastro da letargia e subserviência ao conluio, onde a calúnia se apresenta como o formato de culto, da defesa daqueles que pretendem eternizar um estado social de agentes corruptores.

A Alemanha já iniciou o seu crescimento económico, e Portugal mantém-se como um dos países mais pobres da Europa!

Até quando?

A CELA DE MANDELA MUITO PROVAVELMENTE PODERÁ SER CONSIDERADA A FÓRMULA DA ASPIRINA SOCIAL DO SÉC. XXI!!!

Os meus cumprimentos,

Rodrigo Coelho de Almeida

 

Deixo-vos com a definição de corrupção da wikipédia, cujo conteúdo resulta num retrato a preto e branco de situações por todos conhecidas:

A palavra corrupção deriva do latim corruptus que, numa primeira acepção, significa quebrado em pedaços e numa segunda acepção, apodrecido, pútrido. Por conseguinte, o verbo corromper significa tornar pútrido, podre.

Numa definição ampla, corrupção política significa o uso ilegal – por parte de governantes, funcionários públicos e agentes privados – do poder político e financeiro de organismos ou agências governamentais com o objetivo de transferir renda pública ou privada de maneira criminosa para determinados indivíduos ou grupos de indivíduos ligados por quaisquer laços de interesse comum – como, por exemplo, negócios, localidade de moradia, etnia ou de fé religiosa.

Em todas as sociedades humanas existem pessoas que agem segundo as leis e normas reconhecidas como legais do ponto de vista constitucional. No entanto, também existem pessoas que não reconhecem e desrespeitam essas leis e normas para obter benefício pessoal. Essas pessoas são conhecidas sob o nome comum de criminosos. No crime de corrupção política, os criminosos – ao invés de assassinatos, roubos e furtos – utilizam posições de poder estabelecidas no jogo político normal da sociedade para realizar atos ilegais contra a sociedade como um todo. O uso de um cargo para estes fins é também conhecido como tráfico de influência.

A corrupção ocorre não só através de crimes subsidiários como, por exemplo, os crimes de suborno (para o acesso ilegal ao dinheiro cobrado como impostos, taxas e tributos) e do nepotismo (nomeação de parentes e amigos aos cargos de administração pública). O ato de um político se beneficiar de fundos públicos de uma maneira outra que a não prescrita em lei – isto é, através de seus salários – também é corrupção.

Todos os governos são afetados por crimes de corrupção, desde uma simples obtenção e doação de favores como acesso privilegiado a bens ou serviços públicos em troca de amizade até o pagamento superfaturado de obras e serviços públicos para empresas privadas em troca do retorno de um percentual do pagamento para o governante ou para o funcionário público (seja ele ou não seja ele uma figura proposta do governante) que determina o pagamento.

O ato considerado crime de corrupção e o ato não considerado crime de corrupção podem variar em função das leis existentes e, portanto, depende do país em análise. Por exemplo, obter ajuda financeira de empresários para uma campanha política é um ato criminoso em países em que todos os valores gastos nas eleições necessariamente têm de vir de fundos públicos (de maneira a que grupos políticos mais ricos não possam fazer valer a sua riqueza para o convencimento dos eleitores em favor de suas teses). Em outros países, este ato de doação financeira pode ser considerado totalmente legal (como ocorre nos Estados Unidos).

A corrupção política implica que as leis e as políticas de governo são usadas para beneficiar os agentes económicos corruptos (os que dão e os que recebem propinas) e não a população do país como um todo. A corrupção provoca distorções económicas no setor público direcionando o investimento de áreas básicas como a educação, saúde e segurança para projetos em áreas em que as propinas e comissões são maiores, como a criação de estradas e usinas hidroelétricas. Além disso, a necessidade de esconder os negócios corruptos leva os agentes privados e públicos a aumentar a complexidade técnica desses projetos e, com isso, seu custo. Isto distorce ainda mais os investimentos. Por esta razão, a qualidade dos serviços governamentais e da infraestrutura diminui. Em contrapartida, a corrupção aumenta as pressões sobre o orçamento do governo. Em seguida, esta pressão se reflete sobre a sociedade com o aumento dos níveis de cobrança de impostos, taxas e tributos.

2 thoughts on “Mensagem de Fim de Ano

  1. joão de Deus

    Sempre tive como principal fonte de vida,a vida e saberes dos outros.

    Depois de ler o que foi escrito acerca da corrupção,só me veio à ideia a definição popular que adapto para esta circunstância….”o que resulta de um negocio prenhe é a corrupção lhe vem no ventre.

    O ser prenhe,resulta de uma mais valia que não é directamente justificada na própria transacção….e que é o enxoval do que lhe vai no ventre.

    Cabe a cada um ter a noção do justo valor daquilo que faz ou sabe,não aceitando a tal “mais valia” que vem sempre envenenada.

    Cabe a cada um, não ouvir conselhos e opiniões por vezes de amigos,que avalizam a tal mais valia fazendo-nos crer que a merecemos.

    Cabe a cada um,a nobreza do ser,em prejuízo do ter.

    Saudações Marialvas

    Responder
  2. joão de Deus

    Um bom ano de 2011 para todos,e em especial para aqueles que vão decidir sobre os destinos do nosso Patrimonio Nacional,o Puro Sangue Lusitano.

    Espero que sejam movidos pela mais genuína motivação Lusitana.

    Somos um povo cheio de qualidades que em cada ano que passa e são mais conhecidos por esse mundo fora,mais é admirado.

    Ao longo de milénios,sempre resistimos várias invasões politico geográficas,e agora de modas, e sempre ficámos por isso mais ricos, mas com a mesma postura Lusitana.

    O PSL é um Cavalo polivalente com níveis sectoriais acima da media mundial,e naquilo que não é temos de trabalhar e desenvolver.

    saudações Marialvas

    João de Deus

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s